Animais de rua, como ajudar? Parte II

Continuando o post sobre animiais de rua ( clique AQUI para ver o primeiro post), o assunto agora é resgate!

2) Achei um animalzinho na rua e quero tirá-lo de lá. Como proceder?

 Antes de tudo, verifique se ele é dócil e não vai te morder. Lembre-se que ele não é vacinado, está assustado e com certeza já foi maltratado. Se aproxime devagar, abaixe e ofereça sua mão com a palma virada pra cima para que ele possa cheirar e vá aproximando até fazer um carinho. Qualquer sinal de agressividade, recue! Doenças como a raiva são transmitidas através da mordida então é importante saber o limite. Neste caso, chame um profissional ou conquiste aos poucos a confiança do animal, utilizando uma luva de couro caso queira manter um contato físico.


Se ele for dócil é mais fácil. Faça um carinho, brinque um pouco e se for possível dê um pouco de ração (não dê leite!!). Assim você conquista sua confiança e é mais fácil de transferi-lo para um abrigo. Eles também reconhecem nosso tom de voz e diferenciam quando estamos conversando com eles em um tom mais amigável ou mais ríspido, então converse como você faz com bebês e crianças! 

3) Para onde eu levo este cão/gato?

 O primeiro passo é levá-lo a um médico veterinário para uma análise clínica. É muito importante saber o estado de saúde do animal antes de colocar em sua casa ou em um abrigo com outros bichinhos. Lembre-se que a caridade e a vontade de ajudar é SUA e o veterinário está lá exercendo sua profissão, portanto esteja preparada para pagar pelo trabalho. Alguns profissionais já são parceiros de ONGs e abrigos e podem até reduzir custos ou colaborar com algum tipo de ajuda (como ração, vermífugo, shampoo, etc). Mas é importante lembrar que é deste serviço que o veterinário tira sua renda, paga seus funcionários e mantém o seu negócio e seria impossível trabalhar de graça para todo mundo que encontrasse um cãozinho na rua. 



Depois da análise, escolha onde o animalzinho vai ficar. Se for em sua casa, verifique se você já tem ração e um espaço para ele dormir. Se ele for conviver com outro cão/gato, é importante que o seu animal aceite outra companhia e o mais importante, esteja com vacinas em dia e tenha feito algum tipo de proteção contra pulga e carrapato (os da rua geralmente estão infestados, e podem transmitir para o seu. Junto com o veterinário você pode utilizar de métodos para a eliminação dos mesmos antes de levar pra sua casa). Se o animalzinho da rua estiver com cinomose, por exemplo, e o seu não estiver vacinado, as chances do seu cãozinho também ficar doente são grandes.

Em um lar temporário ou Abrigo estes cuidados também devem ser observados. Veja quantos dias ele pode ficar até que você arrume um novo dono. As redes sociais são os melhores e mais rápidos para isso, mas você também pode colocar anúncio em Clinicas Veterinárias, Banho e Tosa...



4) Tenho condições financeiras de ajudar. O que posso fazer?

Além da parte clínica (vacinação e vermifugação), o ideal é castra-lo. Muita gente acha que é judiação, que o animal precisa cruzar ou até mesmo que é prejudicial para saúde, mas é justamente o contrário. A castração evita a reprodução (não queremos mais animais na rua!), evita muitas doenças sexualmente transmissíveis e na maioria dos casos, até aumenta a expectativa de vida. Oferecer ração de linha Premium ou Super Premium também é uma ótima opção.
doação de recursos para Abrigos e ONGs também pode ser feita. Conheça o trabalho das que estão disponíveis em sua cidade!

5) Outras considerações importantes:

* Como já citado anteriormente, ninguém é obrigado a gostar de animais. Portanto respeite quem não ajuda cães de rua. Já dizia aquele ditado: muito ajuda quem não atrapalha. Faça sua parte!

* Tome muito cuidado se você presenciar algum mau trato à animais. Essas pessoas que chutam, matam e judiam de animais podem ser perigosas pra você também.

* Filhotes e cães doentes/machucados precisam de mais dedicação, tempo e dinheiro. Tenha sempre isso em mente quando for resgatar/adotar. Por isso é bom ter contato com pessoas que são adeptas a causa, como você. Elas podem auxiliar.

* Infelizmente, não podemos ajudar TODOS os animais abandonados. Mas você pode dar o melhor de si para aquele UM que você escolheu em ajudar. Isso vai mudar a vida dele e, acredite, isso significa MUITO!




Gostaram dos posts? É muito fácil compartilhar e marcar outras pessoas no facebook para ajudar sentado em casa em frente ao computador. Mas o que muda o mundo são ações e atitudes! Por essa e tantas outras causas que precisam de caridade, compaixão e coragem! 

Tem alguma dúvida ou quer escrever um relato? Deixe aqui nos comentários!

Comentários

Postagens mais visitadas

Parceiros - Confira as vantagens de ser nosso leitor!

.

.

Siga no instagram @quartofeminino